20 de julho de 2005

Férias...

Pois é... quem disse que trabalhar não cansa anda muito enganado ou então, simplesmente, não trabalha. Assim vou refrescar as ideias, desligar-me da vida diárias e das tecnologias e, por uns tempos, vou tornar-me eremita num monte qualquer. Comigo levarei um livro "Timbuktu" de Paul Auster, um saco cama e uma tenda... para ser igual à história do livro só me falta o Mr. Bones, o canito narrador. Então... até ao regresso.

19 de julho de 2005

Harry Potter... O Príncipe do Mal???

Este fim-de-semana foi lançado o novo livro do Harry Potter, embora a tradução em português só nos chegue em Outubro. No entanto não é disso que quero aqui falar. Este é um “post” de atónito espanto, resultado de uma reportagem que a CNN colocou no ar no passado Sábado, respeitante a um conjunto de “pessoas” que têm algumas “reservas” quanto aos conteúdos dos livros de J. K. Rowling. Literalmente, aqueles senhores e senhoras, rasgavam e queimavam os livros dizendo, de bíblia na mão, que tais livros estavam empestados de feitiçaria, magia negra e outras coisas mais, não sendo por isso algo que as crianças e jovens pudessem ler, pois a mensagem transmitida distorceria o seu crescimento mental e espiritual… Acabada a reportagem fiquei uns cinco minutos de olhar perdido e a relembrar tudo o que lera nas histórias do Harry Potter. Imediatamente a seguir comecei a procurar histórias paralelas, que de uma forma ou outra envolvem bruxas, feitiçarias e essas coisas… e elas são inúmeras, desde feitiços de adormecimento a maçãs envenenadas por maléficas bruxas más. Para aquela “gente” o mundo da fantasia é distorcido, maléfico ou será que julgam que basta ser-se bruxo ou feiticeiro para se ser mau? Será que pensam que os “maus” são apenas um grupo estereotipado de pessoas associadas a uma “actividade”, neste caso, e necessariamente bruxos e feiticeiros? As imagens apresentadas na reportagem parecima mais uma versão pós-moderna dos autos-de-fé do passado, ou aqueles acontecimentos passados num gueto judeu de Varsóvia. Isso sim é que distorce a mente das crianças, ver adultos a ter comportamentos daqueles. Como terá sido o Halloween deles? Será que não têm, escondidas algures, fotografias onde estão mascarados de feiticeiros? E o dos filhos, que dirão eles aos seus filhos? Para mim isto é um exemplo de fanatismo, talvez pior que o muçulmano, pois não assenta em valores de qualquer espécie. Trata-se da segregação de tudo quanto é tido por humanidade por meio da emulação pelo fogo. Quem é que imaginou tal coisa e a determinou? Não necessitará de tratamento?

8 de julho de 2005

O MapAdventure

Pois é, finalmente o nosso IGEOE, em parceria com um privado, resolveu lançar um produto que será de grande utilidade para o pessoal que se dedica à prospecção de campo. Trata-se do MapAdventure, um software para pocket PC que além de indicar velocidade, conta quilómetros, altitude, direcção, cronómetros, permite a utilização das Cartas Militares à escala 1:25.000 e Ortofotomapas.

O preço de lançamento, indicado na mailling list do IGEOE que recebi, é de 350 euros (IVA incluído) pela aplicação e o GPS bluetooth. Caso se deseje só a aplicação, esta custa somente 199 euros (IVA incluídos) além de, em ambos os casos, o cliente ter direito a 12 cartas militares à sua escolha, para utilizar no sistema, completamente grátis.

Este produto encontra-se à venda nos seguintes locais:

-Instituto Geográfico do Exército (IGeoE) - Lisboa Loja da Cartografia por e-mail(*) para: igeoe@igeoe.pt por Fax para: 218 532 119 - InfoPortugal S.A - Porto por e-mail(*) para: fernandapires@infoportugal.pt (22 600 16 66 - Fernanda Pires) por Fax para: 226 001 663 - Lojas FNAC

Boas notícias estas, para quem vê nestas tecnologias uma forma de aperfeiçoar o seu trabalho. Mais informações no site MapAdventure.

2 de julho de 2005

O Anti Mosquito: verdade ou mentira?

Heis o problema discutido por todos os portugueses. Será que o programa Anti Mosquito funciona? O debate está aberto na sociedade portuguesa. Na verdade não sei muito bem qual será a sua utilização na arqueologia, mas este software surgiu-me tão inesperadamente que não resisto a divulgá-lo. Também não sei se é eficaz ou não, mas o seu autor, Bhagyesh Trivedi, diz que o programa produz um som entre os 16000Hz e os 20000Hz, inaudível pelos humanos e respectivos animais domésticos, que, segundo ele, provoca desconforto nos bichitos malditos fazendo com que não voem. Agora asua aplicação na arqueologia fica ao critério de cada arqueólogo. Testemunhos da sua funcionalidade já os tenho, estou a testá-lo agora também. E pronto, só falta o link para o download e que é este, bastando clicar AQUI.