30 de maio de 2006

DTM de trazer por casa...

Esta é uma pequena experiência que fiz, para um trabalho da disciplina de Cartografia e Topografia. Trata-se do monte de S. Domingos, em Castelo de Paiva, onde supostamente existe ou existiu, ou não, um castro. É, talvez um exemplo de quem não tem cão para caçar, caça com gato, queimando os olhos em frente do monitor a marcar pontos e inserir cotas. No entanto vale a pena o esforço pois, por comparação com fotografias tiradas propositadamente, o resultado é bastante fiel à realidade morfológica do terreno. Um DTM (Digital Terrain Modelling ou MDT - Modelo Digital do Terreno) de trazer por casa mas que compensa.

29 de maio de 2006

Noções Elementares de Archeologia

Trata-se de uma pérola da arqueologia portuguesa, que data de 1878, e tem como autor Joaquim Possidonio Narciso da Silva, "Architecto da Casa Real, Socio correspondente do Instituto de França, Honorario do Instituto Realdos Architectos Britannicos, da Sociedade Franceza de Archeologia, da Sociedade Central dos Architectos de Paris,correspondente da Academia Real de S. Fernando,fundador do Museu de Archeologia em Lisboa, etc. etc. etc. MEDALHA DO CONGRESSO ARCHEOLOGICO DE LOCHES CONFERIDA NA SUA SESSÃO DE JUNHO DE 1869" Permito-me colocar aqui o trecho final da introdução à obra da autoria de I. de Vilhena Barbosa, sócio efectivo da Academia Real de Sciencias:
"A archeologia é a sciencia que tendo por fim, como o indica o seu nome, estudo da antiguidade, nos ensina a conhecer o viver dos povos antigos por meio do exame e apreciação dos monumentos, que nos deixaram, e de todos os objectos, que d'elles nos restam como manifestação do seu engenho e do seu trabalho. A historia narra os successos, indica-lhes as causas, e aponta-lhes as consequencias. Julga do caracter e indole dos povos, e dos individuos que mais se assignalaram; e trata dos monumentos, como provas que mostram o seu desenvolvimento intellectual e industrial, e tambem como testemunha d'aquelles successos. A archeologia examina attentamente todos os productos materiaes, que os antigos povos nos legaram, e d'esse estudo minucioso, comparativo e philosophico, faz resaltar o conhecimento das idéas, da religião, dos usos e costumes, do desenvolvimento industrial e artistico, emfim do viver dos povos, aos quaes esses productos pertenciam. Portanto a archeologia faz importantes serviços á historia, não só esclarecendo-a, com a luz que derrama onde tudo é trevas, mas tambem completando-a com uma infinidade de noções e de objectos reaes, que nos apresentam um quadro verdadeiro da vida intima dos povos da antiguidade, que sem os esforços dos archeologos seriam ignorados ou apenas conhecidos superficialmente. A archeologia divide-se em tres partes, que a seu turno se subdividem: 1.ª litteraria — 2.ª artistica—3.ª usual. Comprehende a primeira toda a sorte de monumentos em que ha inscripções, quaesquer que sejam os seus caracteres e a materia que os contenha. Subdivide-se em paleographia,diplomatica e epigraphia. A paleographia ensina a decifrar as antigas escripturas em pergaminho ou em outra substancia com caracteres alphabeticos, ou ediographicos, ou signaes emblematicos, como os hyeroglyphicos dos egypcios, ou outros convencionaes. A diplomatica indica o modo de conhecer, pelos caracteres internos e externos, a authenticidade dos documentos. A epigraphia trata da interpretação das inscripções gravadas em pedra, em metal, ou em qualquer outra materia. A archeologia artistica trata de todos os monumentos da antiguidade, taes como edificios religiosos, civis e militares, e todos os generos de obras d'arte. Subdivide-se em archeologia monumental, que diz respeito ás obras d'architectura, d'esculptura e de pintura; em iconographia, que é o estudo dos bustos e dos retratos dos personagens historicos; em numismatica, ramo consagrado ao exame das moedas e medalhas; em glyptographia, que trata das pedras gravadas, representando quaesquer figuras; e, finalmente, em archeologia usual, que abrange toda a qualidade de alfaias, utensilios e instrumentos sagrados, domesticos, militares, funerarios, etc. São estas as divisões scientificas da archeologia. Porém, considerada relativamente ás grandes épocas da vida da humanidade, póde dividir-se em archeologia prehistorica, dedicada ao estudo das edades primitivas do homem, das quaes não restam memorias escriptas, nem gravadas, nem tradicionaes, existindo por unicos vestigios da sua passagem na terra alguns rudes monumentos, e utensilios e instrumentos não menos toscos e grosseiros, encontrados em escavações: em archeologia dos antigos imperios orientaes; em archeologia classica, ou greco-romana; e em archeologia christã, que comprehende o periodo desde o nascimento de Christo até á renascença das artes e letras. Emfim a archeologia é uma sciencia tão lata e complexa, que ainda precisa, para satisfazer cabalmente a sua importante missão, soccorrer-se a outras sciencias accessorias como são a linguistica, a paleontologia, a geologia, a anthropologia, e a ethnologia."
Afinal o que mudou ao longo dos tempos no nosso discurso? Podem consultar a obra aqui...